Espaço Mira
Mira Forum
Carregar Eventos
  • Este evento já decorreu.

Imagens Periféricas 4 _ Exposição de fotografia | MIRA Pinhole Photography

29 Out, 202231 Dez, 2022

Imagens Periféricas 4
MIRA Pinhole Photography
Exposição coletiva de fotografia pinhole dos candidatos selecionados de uma open call internacional
Se a fotografia é um espelho com memória (Oliver Wendell Holmes, 1861), uma fotografia pinhole é a evocação da imaginação preenchida por um tempo que se demora entre o desejo de quem a faz acontecer e o olhar de quem a contempla.
Se, como afirma António Guerreiro, “a fotografia mumifica o tempo”, sendo capaz de o fazer escapar à sua condição de corrupção, a fotografia pinhole deleita-se em corromper a casa do tempo e das formas que nela habitam, através de uma plêiade de gestos, qual ritual, que se prolongam num esboço de uma imagem que sugere nunca estar acabada. Por esse motivo, o reino da fotografia pinhole não se esgota no som mecânico e objetivo de um “click”, nem no instante – por mais ou menos decisivo que seja – como também não se deixa enclausurar pelo mais sedutor e previsível dos enquadramentos. Talvez porque a sua presença seja, sobretudo, superação que se insinua pelo prazer que cada um de nós pode experimentar quando constrói a sua própria câmara (que o diga António Martins Teixeira), e com ela aprende a usufruir de uma cumplicidade (entre fotógrafo e dispositivo fotográfico) que nasce cedo e cujos resultados transcendem sempre a categoria do “defeito” ou do “erro”, porque de poética se trata.
O mês de Novembro é “tempo” de pinhole no Mira, e neste durante, meia centena de fotografias irão fazer parte de uma viagem onde o “espanto” ainda é possível.
(Rui Apolinário out 2022)
If photography is a mirror with memory (Oliver Wendell Holmes, 1861), a pinhole photograph is the evocation of imagination filled with a time that lingers between the desire of the one who makes it happen and the gaze of the one who contemplates it.
If, as António Guerreiro says, “photography mummifies time”, being able to make it escape its condition of corruption, pinhole photography delights in corrupting the house of time and the forms that inhabit it, through a pleiad of gestures, like a ritual, that are prolonged in a sketch of an image that suggests never to be finished. For this reason, the realm of pinhole photography is not limited to the mechanical and objective sound of a “click”, nor to the moment – ​​however decisive it may be – but it also does not allow itself to be cloistered by the most seductive and predictable of frames. Perhaps because its presence is, above all, an overcoming that is insinuated by the pleasure that each of us can experience when building our own camera (as António Martins Teixeira says), and with it he learns to enjoy a complicity (between photographer and photographic device) that was born early and whose results always transcend the category of “defect” or “error”, because it is about poetics.
The month of November is pinhole “time” at Mira, and during this period, half a hundred photographs will be part of a trip where “astonishment” is still possible.
(Rui Apolinário Oct 2022)
Curadoria: Adelino Marques, Augusto Lemos, António Martins Teixeira e Rui Apolinário.
SHORTLIST, em exposição:
Adelino Marques | Ana Sousa | Anthony Carr | António Carvalhal | António Teixeira | Arek Golosk | Augusto Lemos | Conceição Magalhães | Danny Kalkhoven | Diana Pankova | Emmanuelle Schmittrichard | Eugénio Silva | Filipe Carneiro | Frankie Boy | Ivan Piano | Jorma Onkinen | Justine Bisschops | Kateřina Hudeckova | Kathrena Marie | Ksawery Wrobel | Kuba Luboradzki | Kümei Kirschmann | Lothar Ponhold | Luiz Cardoso | Magda e Domingos | Miroslav Radomski | Monika Cichoszewska | Nick Dvoracek | Niels Hansen | Olga Suchanova | Piotr Kucia | Piotr Szudra | Piotr Weclawski | Rene Vonk | Rima Virbauskaite | Robin Bjerkhaug | Roman Baran | Rui Apolinário | Rui Esteves ! Ruth Güse | Scott Perry/Macie Duke | Séverine Morizet | Spiffy Tumbleweed | Stefan Migalski | Tom Hudecek | Tomasz Warzyński | Volker Schuetz | Zbigniew Ladygin
FOTOGRAFIAS MAIS BEM CLASSIFICADAS, em projeção:
Adelino Marques | Ana Sousa | Andreas Perlick | Antal Tarjáni | Anthony Carr | António Carvalhal | António Teixeira | Arek Golosz | Augusto Lemos | Chri Bird | Christophe Boete | Conceição Magalhães | Danny Kalkhoven | Diana Pankova | Emmanuelle Schmittrichard |Eugénio Silva | Filipe Carneiro | Frankie Boy | Grzegorz Sidorowicz | Ivan Piano | Jeff McConnell | Jorma Onkinen | José Gomes | Justine Bisschops | Kateřina Hudeckova | Kathrena Marie | Ksawery Wrobel | Kuba Luboradzki | Kümei Kirschmann | Lena Kaellberg |Lothar Ponhold | Luiz Cardoso | Magda e Domingos | Marcela Chrenstova | Marcos Castillo |Marzena Kolarz | Matthias Hagemann | Miroslav Radomski | Monika Cichoszewska | Nick Dvoracek | Niels Hansen | Olga Suchanova | Piotr Kucia | Piotr Szudra | Piotr Weclawski | Radek Rogalski | Ran Zoref | Rene Vonk | Rima Virbauskaite | Robin Bjerkhaug | Roman Baran | Rui Apolinário | Rui Esteves | Ruth Güse | Scott Perry/Macie Duke | Severine Morizet | Spiffy Tumbleweed | Stefan Migalski | Svetlana Batura | Tom Hudecek | Tomasz Warzyński | Volker Schuetz | Zbigniew Ladygin
NOTAS BIOGRÁFICAS
Adelino Marques
Nasceu em Gondomar, onde reside. Iniciou o contacto com a fotografia no final dos anos setenta, na Faculdade de Medicina do Porto, tendo sido um dos colaboradores do departamento de fotografia da Associação de Estudantes. Frequentou o curso livre de fotografia da Cooperativa Árvore nessa mesma época e mais tarde o IPF – Porto.
Tem participado em exposições individuais e coletivas em Portugal e no estrangeiro, nomeadamente em Espanha, Itália, França, Finlândia, Polónia, Chéquia, Ucrânia e nos Estados Unidos.
Alguns dos seus trabalhos encontram-se publicados em revistas e livros e fazem parte de coleções particulares e institucionais.
Rui Apolinário
Natural de S. João da Madeira. Licenciatura em Filosofia, Fac/Fil Braga. Frequentou o atelier de fotografia no Centro de Arte de S. João da Madeira,1988/1991, onde obteve formação nas áreas de processamento de películas fotográficas a preto e branco, diapositivos e impressão (química).Posteriormente experienciou diversos “workshops” na área da impressão de imagens fotográficas a preto e branco, alguns dos quais tutelados pelo Centro Português de Fotografia, assim como pelo laboratório de impressão fotográfica (analógica/digital) “La-Chambre-Noir”, sediado em Paris, sob orientação de Guillaume Geneste.
O seu trabalho fotográfico, no qual se inclui a exploração da fotografia “pinhole”, tem vindo a ser divulgado em várias exposições individuais, assim como em múltiplas exposições coletivas.
Augusto Lemos
Nasceu e reside no Porto. Doutorado pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Barcelona é Professor Adjunto na Escola Superior de Educação do Politécnico do Porto, onde leciona desde o ano letivo 1994/1995.
Expõe regularmente há dezenas de anos, com exposições individuais e coletivas. As suas últimas exposições individuais foram “Eight Hours Before”, Quase Galeria, 2015; “Bloody Landscapes, Centro Português de Fotografia”, 2018 e “I Love My Bicycle”, Centro Cultural Adriano Moreira, Bragança, 2019.
António Martins Teixeira Nasceu em V.N.Gaia, reside no Porto.
Estudou Fotografia na Cooperativa Ensino Superior Artístico Árvore de 1982 a 1985.
Estudou Geografia na FLUP de 1984 a 1988. Foi professor de fotografia na Escola Superior Artística do Porto de 1986 a 2014. Expõe fotografia com regularidade desde 1985.
Nos últimos anos tem preferido explorar as potencialidades fotográficas das câmaras estenopeicas, também conhecidas por pinhole, especialmente com as que constrói para cada projeto, tendo participado em várias exposições, orientado workshops e transformado espaços improváveis em câmaras escuras.
Exposição integrada no MIP – Mês da Imagem do Porto | Apoio CMP

Rua de Miraflor, 155,
4300-334 Campanhã, Porto

terça a sábado,
15:00 às 19:00


miraforum@miragalerias.net
929 113 431 / 929 145 191